FORÇAS POLICIAIS VÃO ESCOLTAR CAMINHÕES A PARTIR DESTA SEGUNDA-FEIRA (28)

Escoltas poderão ser solicitadas por telefone ou e-mail. Também será disponibilizado um número para denúncias de crimes ligados à greve dos caminhoneiros

Caminhões com combustível, medicamentos, alimentos, gás e animais vivos serão escoltados nas rodovias goianas a partir desta segunda-feira (28/05), pelas forças policiais. A decisão foi tomada em reunião Gabinete de Monitoramento da Paralisação do Transporte Rodoviário de Cargas (GMPTC), coordenado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP).  O objetivo da medida é garantir o abastecimento em todo o Estado.

Cerca de 50 caminhões de combustível serão escoltados somente neste primeiro dia de operação, sendo 30 para a Região Sudoeste de Goiás e 20 para Goiânia. “Estamos diante de um problema nacional e sentimos a necessidade de organizar as demandas, equacioná-las e atendê-las”, afirmou o titular da SSP, Irapuan Costa Júnior.

Para solicitar escolta, empresas e motoristas devem entrar em contato pelo telefone (62) 3201-6101. As escoltas também podem ser pedidas nos comandos regionais da Polícia Militar. O Sindicato das Indústrias de Laticínios no Estado de Goiás (Sindileite), por exemplo, já solicitou escolta e está sendo atendido.

Já o número (62) 3201-2052 será disponibilizado para denúncias de crimes relacionados à paralisação dos caminhoneiros, como bloqueios, venda ilegal de produtos e furtos e roubos de cargas.

As escoltas serão feitas de acordo com a necessidade de cada região. A operação ficará sob a responsabilidade da Polícia Militar, Exército Brasileiro e Polícia Rodoviária Federal. Até o momento, foram registrados 47 pontos de bloqueio em rodovias estaduais e 23 em federais.

Diversas autoridades participaram da reunião. Entre elas, dirigentes de todas as forças policiais, superintendentes da SSP e membros do Exército, Polícia Rodoviária Federal e representantes de entidades de classe.

Consumidor

O Procon-Goiás recebeu nos últimos sete dias 149 denúncias originadas dos municípios goianos e da capital,  acerca de  preços e falta de combustíveis. Todas as denúncias estão sendo constatadas pelas equipes de fiscalização na região metropolitana de Goiânia (115 postos de combustíveis fiscalizados). Quanto às denúncias dos demais municípios, todas estão sendo remetidas para o Ministério Público/CAO do Consumidor para que os promotores destas cidades, se entenderem necessário,  requisitem documentos e repassem ao Procon-Goiás para apuração dos fatos.

Nesta tarde, o Procon Goiás recebeu 8 denúncias sobre a falta de oferta de Gás GLP e preços abusivos. Em um dos estabelecimentos denunciados, no Bairro Village Atalaia, ficou constatado, após verificação de documentos, a realização da  venda do produto pelo valor de R$ 150,00. A empresa foi autuada de imediato. As demais denúncias continuam sendo apuradas por nossas equipes de fiscais.

A superintendente do Procon Goiás, Darlene Araújo, alerta  todos  os fornecedores (empresas) para  manterem as  margens normais de lucro, obtidas antes da paralisação dos caminhoneiros, sob pena de aplicação das sanções cabíveis, que incluem multa e interdição, sem prejuízo da indenização pelos danos difusos.

Os consumidores podem encaminhar denúncias ao Procon Goiás pelo telefone 151, presencialmente ou pelo ProconWeb. Além disso, devem sempre exigir a nota fiscal ao abastecer.

Fonte: SSP – GO / Por Marielly Cristina

Compartilhar

Categoria Notícias