Preso no Mato Grosso suspeito de ter assassinado o Delegado de Polícia Célio Tristão

Rafael Ferreira foi preso em Pontes de Lacerda, no Mato Grosso

Rafael Ferreira foi preso em Pontes de Lacerda, no Mato Grosso

As Polícias Civis de Goiás e do Mato Grosso, numa ação conjunta,  prenderam o suspeito de ter assassinado, em dezembro do ano passado, o Delegado de Policia aposentado, Célio Cassimiro Tristão, de 73 anos. Rafael Ferreira de Almeida, 22, foi preso na última segunda-feira, dia 26, no município matogrossense de Pontes de Lacerda.

Célio Tristão, um dos Delegados mais respeitados e queridos da Polícia Civil de Goiás,  foi morto a tiros durante uma tentativa de roubo, em Goiânia. Ele conversava com o pedreiro de uma obra ao lado de um  lote de sua propriedade, no Residencial Guarema, próximo  ao Setor Urias Magalhães, em Goiânia, quando foi abordado e morto. Tristão foi alvejado na cabeça e teve seu veículo foi levado pelos criminosos.

Célio Tristão: Assassinado em dezembro

Célio Tristão: Assassinado em dezembro

Rafael Ferreira foi preso poucos dias depois do crime, juntamente com outros dois comparsas, e denunciado por latrocínio pelo Ministério Público. No entanto, o suspeito acabou sendo solto por engano ao ser inocentado pela justiça por um roubo, mesmo tendo contra si mandados de prisão por outros crimes.

Desde que Rafael Ferreira ganhou a liberdade, a Policia Civil goiana abriu várias frentes de investigação para localizar o paradeiro do suspeito. Finalmente, Rafael foi encontrado em Pontes de Lacerda, distante 483 km de Cuiabá.

O Preso foi transferido para Goiânia e colocado à disposição do Poder Judiciário.  O Presidente da Associação dos Delegados da Polícia de Goiás (ADPEGO), Waldson de Paula Ribeiro, cumprimenta os Policias Civis de Goiás e do Mato Grosso pelo empenho e dedicação nas investigações que culminaram na prisão de  Rafael Ferreira.

“A justiça começa, finalmente, a ser feita”, disse Waldson de Paula, relembrando a trajetória de trabalho do Delegado Célio Tristão ao longo dos cerca de 40 anos de serviços prestados à sociedade como Policial Civil. “Sua morte de forma bruta nos entristeceu muito”, completou.

Compartilhar